Atividade Física

Como prescrever exercícios no Diabetes

Insulina, dieta e exercício são conhecidos como a tríade para o bom tratamento do diabetes segundo Joslin, um importante cientista norte-americano que dedicou sua vida ao tratamento de diabéticos.

Esses três pontos, aliados ao conhecimento da doença, são essenciais para aproximar a qualidade de vida desses pacientes à dos indivíduos sem a doença.

Para os pacientes portadores de diabetes mellitus, a prescrição do exercício deve ser precedida de uma cuidadosa história médica (anamnese) e de um exame físico minucioso, focalizando os sinais e sintomas de doenças nos vasos (macro/microangiopatias) e neuropatias, e de uma avaliação física específica. Essa última tem como objetivo determinar o estágio de condicionamento físico do paciente.

Preparar um indivíduo com diabetes para a realização de um programa de exercícios seguro e confortável é tão importante quanto o exercício em si.

Os exercícios devem ser prescritos de forma individualizada, para evitar riscos e potencializar os benefícios, sempre levando em consideração a idade, o controle metabólico, o nível de condicionamento físico, o tempo de diagnóstico e manifestações de complicações agudas e crônicas.

O importante para a adesão ao programa de exercícios é que os pacientes com diabetes realizem exercícios que tenham uma maior afinidade, de preferência sob orientação de profissionais qualificados. A intensidade, a duração e o tipo de exercício devem ser adequados para que se obtenha sucesso no tratamento, que também engloba o medicamentoso e o nutricional.

De acordo com a intensidade e a duração executadas, podemos estimar o substrato energético (carboidratos ou gorduras) utilizado durante a prática do exercício físico. No decorrer da prática da atividade física, à medida que se aumenta a intensidade, cresce a necessidade de oxigênio pelos músculos exercitados.

Nos exercícios contínuos e prolongados, o sistema energético predominante é o aeróbio que, para funcionar adequadamente, necessita de um sistema cardiorrespiratório eficiente, isto é, boa capacidade respiratória celular e perfusão tecidual periférica suficiente. O substrato principal nesse sistema são os ácidos graxos livres (gordura). Já nos exercícios de curta duração e alta intensidade, como os exercícios resistidos, o substrato principal são os carboidratos (glicose) e esses exercícios ajudam no desenvolvimento do sistema músculo-esquelético dos portadores.

A pessoa com diabetes pode, no entanto, atingir níveis incríveis de conquistas físicas e há exemplos excepcionais disso na maioria dos esportes universitários, profissionais e olímpicos. Apesar de parecerem estratégias simples, é o ajuste fino dessas ações que determina o sucesso ou o fracasso do programa de exercícios.

Com essa preocupação, o Fleury disponibiliza, de forma inovadora, o Diabetes Fitness, um serviço que orienta e prescreve um programa de exercício individualizado. Para que haja segurança na orientação, o programa é composto por exames de controle do diabetes (glicose e hemoglobina glicada) e da função do rim (creatinina e microalbuminúria), avaliações físicas propriamente ditas (peso, cintura e composição corporal), condições das articulações, estado dos pés, exame de fundo de olho e teste cardiopulmonar.

Prof. Ms. William Ricardo Komatsu é preparador físico do serviço de Diabetes Fitness do Fleury,  Doutorando em Ciências Endocrinológicas pela UNIFESP

Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *