Dicas

O que é Diabetes?

Se você pretende levar uma vida sem limites, sendo portador de diabetes, é fundamental que você saiba muito sobre o diabetes e sobre você mesmo. Os conceitos fundamentais do cuidado com o diabetes não mudaram muito nos últimos anos mas, a cada dia que passa, aprendemos mais. Você pode obter informações sobre o diabetes de várias formas. Nós oferecemos informações sobre cuidados com o diabetes para a sua conveniência e para ajudá-lo a melhorar sua qualidade de vida.

Tipos de Diabetes:

O diabetes Tipo 1 (antigamente denominado diabetes insulino-dependente ou infanto-juvenil) ocorre quando o organismo deixa de produzir insulina, geralmente durante a infância ou adolescência.

No caso do diabetes Tipo 2 (antigamente denominado diabetes não insulino-dependente ou adulto), o corpo não produz insulina suficiente ou perde sua capacidade de usá-la apropriadamente. Esse tipo é muito mais comum que o Tipo 1, no qual o pâncreas não produz nenhuma insulina.

Glicose:

Os alimentos, quando consumidos, são decompostos em elementos básicos. Um desses elementos é a glicose, um tipo de açúcar que exerce um papel muito importante. A glicose é a principal fonte de energia para nosso corpo. Após o consumo de qualquer alimento, a glicose é absorvida pelo intestino, percorre pelo sangue, e sua energia pode ser imediatamente usada pelas células ou armazenada para uso posterior.

Insulina:

A insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas. Este hormônio se une a alguns receptores especiais que residem em nossas células, iniciando um processo que permite a penetração da glicose nas células e sua utilização como energia.

O pâncreas detecta a quantidade de glicose no sangue e libera a quantidade de insulina necessária, para permitir a penetração da glicose nas células. Esse processo mantém os níveis de glicose no sangue sob condições normais.

O diabetes Tipo 1 ocorre quando a maioria das células, que produzem insulina no pâncreas, foi destruída, o que pode acontecer devido a uma resposta auto-imune a uma infecção viral, ou complicações do pâncreas.

Resistência à Insulina:

O diabetes é um problema metabólico no qual o corpo não consegue produzir quantidades suficientes de insulina, para manter a glicemia (glicose no sangue) sob um nível adequado. Em alguns casos, a insulino-resistência, que eleva os níveis de açúcar no sangue, contribui para o aparecimento do diabetes Tipo 2.

Nesses casos, o organismo não consegue usar eficazmente sua própria insulina.

A insulino-resistência impede a penetração da glicose nas células. A glicose fica acumulada no sangue, produzindo a hiperglicemia (níveis altos de glicose no sangue). Em resposta, o pâncreas produz mais insulina, porém as células, incapazes de responder a essa insulina, mantêm os níveis de açúcar altos.

Concluindo, no caso do diabetes Tipo 2, dois fenômenos co-existem: insulino-resistência e incapacidade do próprio corpo em produzir insulina.

Com o passar do tempo (vários anos), a insulino-resistência pode contribuir para a exaustão do pâncreas que, conseqüentemente, não produzirá insulina suficiente. Então, o paciente precisará de injeções de insulina para manter sua glicose sob um nível normal. Resumindo, as pessoas portadoras de diabetes Tipo 1 precisam usar a dose certa de insulina, após a doença ser diagnosticada. Os portadores de diabetes Tipo 2 precisam usar a medicação, quando uma mudança no estilo de vida não for suficiente, para manter níveis de glicose adequados. Nesse caso, a medicação a ser usada inicialmente é conhecida como hipoglicemiante oral. Há dois grupos dessa medicação: aquele que favorece a liberação da insulina e o que melhora o efeito da insulina no organismo. Muitas vezes, os dois tipos são usados em combinação.

Mesmo as pessoas portadoras de diabetes Tipo 2, que fizeram um bom monitoramento de sua glicose por muitos anos e seguiram um controle rigoroso de alimentação, atividade física, auto-monitorização e medicação oral, podem precisar do uso de insulina em um prazo mais longo.

Sintomas:

  • Excesso de sede ou apetite
  • Cansaço
  • Micção freqüente
  • Demora na cicatrização de feridas
  • Infecções freqüentes
  • Visão turva
  • Coceira na pele
  • Disfunções sexuais

Continue acompanhando a Comunidade Diabetes para aprender mais!

Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *